quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Carta sobre o fim do mundo

Hoje, o mundo vai acabar.
Ou, pelo menos, deveria.
Os Maias não falaram sobre Apocalipse, e sim sobre uma era de renovação. Então, faça o que você deveria fazer sempre: dentre os dois mundos que existem dentro de você, escolha o que você mais gosta.

Escolha o mundo onde você é mais sábio, centrado e paciente.

Escolha o mundo onde você possa amar verdadeiramente e de todo o coração pelo menos 3 pessoas, apesar dos defeitos delas. E que a primeira pessoa que tenha passado pela sua cabeça ao ler isso tenha sido você mesmo.

Escolha o mundo onde o dinheiro é um meio, e não um fim.

Escolha o mundo onde os sentimentos possam ser transmitidos pelas emoções sentidas, e não pelas palavras ditas. Assim você poderá se comunicar com qualquer ser, tenham eles pelos, penas, escamas ou folhas.

Escolha o mundo onde seus luxos não acabem com a vida dos seres que acabei de citar.

Escolha o mundo onde adquirir uma boa aparência significa cuidar de você e se sentir bem com seu corpo, e não alcançar um ideal de beleza que só serve para esconder seu balde de inseguranças e medos.

Escolha o mundo no qual as suas atitudes ruins serviram para amadurecimento e não serão repetidas.

Escolha o mundo em que o ser humano mate exclusivamente para comer, e que mesmo esse tipo de morte seja dada de forma honrada, respeitosa e cheia de gratidão.

Escolha o mundo onde se importar com os outros significa se preocupar em como você pode conviver da melhor forma com esse outro, e não se preocupar com o que ele pensa de você. Por que isso, no fim das contas, não importa muito.

Escolha o mundo onde você é importante. Depois disso, escolha o mundo onde você consiga olhar para qualquer pessoa, animal e planta e sentir que ele é tão importante quanto você, não importa o quanto ele seja diferente.




Escolha esse mundo.
E acabe com o outro.

Bom fim de mundo a todos!

2 comentários:

Pulguinha disse...

AMEI DEMAIS!
PARABÉNS!

BRUNA ARTONI

Fernanda Braite disse...

Obrigada, Bru! Beijão!