terça-feira, 18 de junho de 2013

Normal

Ela gosta de dançar nas noites de lua cheia, e de queimar coisas num caldeirão de chumbo. Às vezes lava os cabelos com uma folha da babosa que tem em um vaso, e sonha em ter um quintal onde possa plantar todas as plantas que quiser.
Gosta de tulipas, porque são flores com personalidade. E de campânulas, porque lembram sinos.
Ela escreve sobre todas as coisas que lhe passam pela cabeça. E ainda sobra tanto a escrever! Tem ideias de livros que quer fazer, além do que já fez. Tem sonhos e projetos, mas a certeza gostosa de que, se todos derem errado, ainda assim haverá um caminho divertido pra seguir.
Não gosta de sambar: prefere a dança antiga ensinada no Egito, onde as mulheres mexiam os quadris para comemorar a fertilidade da terra. E gosta de se pendurar em postes.
Interessa-se muito por épocas antigas, em especial uma que tem tantos mistérios quanto ela.
Gosta do cheiro dos livros. De passar os dedos pela brochura e sentir a capa se abrir.
Fala algumas expressões em francês, usa vestidos floridos e abraça árvores.
Sabe alguns golpes de espada, mas prefere arco e flecha. Quer aprender a tocar harpa.
Ama vinhos, com todos os seus segredos e detalhes, com seus cheiros, suas cores e seus gostos.
Não pode ver fios ou cordões pendurados. Precisa bater neles, assim como fazem os gatos. É muito curiosa, e torce para que isso não a leve à morte, como o ditado diz. Só come balas de goma rosas e roxas.
Chega ao êxtase quando um vento muito forte atinge seu rosto, gosta de lanchas, mas não gosta de carros.
Adora se besuntar com cremes de cheiros e texturas diferentes. Baunilha, amora, pera. Diverte-se com dentes-de-leão.
Gosta do sol, mas só quando está protegida. Ou quando ele está fazendo luzes diferentes, passando pelas folhas. Ama a noite, e tem vontade de sair por aí, como um corvo.
 Gosta de gatos e cachorros. Dos últimos, porque sempre estão felizes e têm orelhas que ela gostaria de puxar. Dos primeiros, porque se identifica mais com eles.
 Também gosta de coelhos, passarinhos, cobras, borboletas, lesmas, lagartixas e qualquer outro ser, vertebrado ou não. Já se convenceu da necessidade de aceitar que as pessoas matem as baratas na sua frente. É uma droga, mas é assim que as coisas são.
Gosta de carne mal passada, de olhos delineados, de azul royal. Gosta bastante de ficar sozinha. De cantarolar e arrumar seu guarda-roupa eternamente bagunçado.

Uma moça normal.



Nenhum comentário: