segunda-feira, 11 de novembro de 2013

DESPERDÍCIO

Sim.
É um desperdício que o meu nariz ainda não tenha sido conectado a nenhum gerador de energia.

Acontece o seguinte: passei dois deliciosos meses sem dar nem um espirrinho sequer. Nenhum! No começo, fiquei desconfiada. Tinha certeza que todo aquele silêncio significava perigo, ele (o nariz) devia estar tramando alguma coisa. Mas os dias passaram e ele continuava na dele, se limitando apenas a respirar e (OLHA SÓ!!) sentir cheiros!! Eu sei, é a tarefa de todo o nariz de boa moral e bons costumes, mas sentir cheiro é uma dádiva.

Daí, de repente, ele decide que vai espirrar em dois dias tudo que não espirrou em dois meses. No banco, as pessoas começaram a achar que eu estava de brincadeira. Um rapaz simpático da fila decidiu que ia me dar "saúde" sempre que eu espirrasse, mas desistiu no vigésimo terceiro. Foi então que eu percebi o poder que eu tinha nas mãos (ou melhor, no rosto).

Um espirro pode chegar à velocidade de 160km/h. Só um! A energia gasta em 3 espirros é a mesma gasta em um orgasmo (pois é, eu pesquisei e confirmei isso em mais de uma fonte... Deus, fiquei gozando o dia inteiro, só que sem a parte boa)! Quanta energia desperdiçada!

Até agora, nenhuma autoridade respondeu meus e-mail e ligações sobre a hipótese de aproveitar meu nariz para gerar energia. E isso é um absurdo, porque eu já poderia ter iluminado uma cidade inteira. Deixo aqui, então, o meu protesto sobre como o Brasil não sabe valorizar as suas fontes naturais e inesgotáveis de recursos.







Nenhum comentário: