quarta-feira, 10 de junho de 2015

SOBRE FEMINISMO (e afins)



Vamos deixar algo finalmente claro para todos?

FEMINISTA - pessoa que acredita que as mulheres devem ter os mesmos direitos CIVIS e SOCIAIS que os homens. 

MASCULINISTA - pessoa que acredita que os homens devem ter os mesmos direitos CIVIS e SOCIAIS que as mulheres. 

FEMISTA - mulher que acha que as mulheres são SUPERIORES aos homens.

MACHISTA - homem que acha que os homens são SUPERIORES às mulheres.


Isso posto, vamos ao texto de verdade, que você só precisa ler se ficou com a pulga atrás da orelha sobre algum dos termos que eu acabei de explicar acima.  

O masculinismo NAO É O OPOSTO de feminismo, muito pelo contrário: você só consegue ser uma feminista de verdade se for uma masculinista. Mas o machismo é sim o oposto do femismo, e eu vou explicar por quê! (calma, não se mate com uma caneta bic, ainda... Continue comigo!)


- SOBRE O MACHISMO E O FEMISMO
Eles são um o oposto do outro, mas posso colocar esses dois no mesmo balaio, porque no fim são a mesma coisa: pessoas que se sentem inseguras e querem atacar o outro, atacar o que é diferente, para tentar se sentir melhor com elas mesmas. É o homem que acha que lugar de mulher é na cozinha. É o homem que trai a mulher, porque "mulher virgem é pra casar, prostituta é pra comer". É aquele que fica bravo se a filha gosta de namorar, mas leva o filho pro puteiro com 13 anos. É o homem que fala que "Não sou machista. Mas ela pediu para ser estuprada, né, saindo com essa roupa!". ... Peraí, gente. Falar de machismo sempre ataca meu fígado... Vou lá vomitar um pouquinho e já volto pra escrever o resto, só um instante...

(BLÉÉÉÉEÉÉÉÉRGH.....)

Voltei... ufa. Tô melhor. Femismo! O femismo também me causa náuseas, mas vamos lá, o texto precisa ser escrito. Femista é a mulher que acha que homem não presta pra nada. Que homem "É tudo um bando de burro que não consegue manter o p@u dentro das calças" ( - pausa para um refluxo -). Que pensa que "Todos os homens são traidores, grosseiros e porcos". Que acha que deveríamos matar todos, e só deixar um pouco de sémen congelado para a gente conseguir ter filhas (os bebês meninos a gente mata na hora, obviamente. Cortar o mal pela raiz).
Gente, parece absurdo, mas tem mulher que pensa assim. E o que mais me dói é que são mulheres que se dizem feministas! Pô, seja uma pessoa nojenta à vontade, mas não suja o nome do movimento!
Eu fiquei assombrada quando vi um vídeo do Felipe Neto dizendo que ele estava apoiando as causas feministas, mas foi trucidado pelas próprias feministas que falaram "Você é homem, cala a tua boca!". Oi???? Você quer ser contra a repressão de um sexo sobre outro, mas apoia a repressão de um sexo sobre outro? E o que dizer sobre a "líder do movimento feminista" que disse que mulheres deveriam se recusar a "fazer sexo de quatro", pois é uma posição vexatória que ofende toda a luta feminista?? Uai, caceto de agulha, e se a mulher gostar da posição? Você quer apoiar a liberdade sexual da mulher reprimindo a liberdade sexual da mulher?

Para esses casos, só digo uma coisa: Minha filha, quando você começar a fazer sentido, daí você vem falar comigo. Até lá, saiba que você é femista, não feminista.



- SOBRE O MASCULINISMO

Apesar de muitos lugares usarem esse termo para falar de um grupo de homens que está se rebelando porque acham que mulher tem uma vida boa demais, que acham que o homem é um coitado porque ele que tem que dar o primeiro passo na conquista, que acham que o mundo é supercruel com eles porque eles que trocam os pneus dos carros... Parem tudo! Masculinismo não é isso! Isso se chama "homem querendo se vitimizar" e não é um movimento social. 

O masculinismo é uma filosofia que acredita que o homem deve ter os mesmo direitos civis e sociais que as mulheres. Isso significa que os masculinistas acham que o homem deveria escolher se quer ou não entrar no exército (e a mulher também). Que apoiam que o pai tenha uma licença paternidade maior. Que o homem tem direito de chorar sem ter sua masculinidade posta em cheque. Que o homem pode cuidar de sua aparência e de sua autoestima sem ser considerado metrossexual. Que ele pode ser um jovem que não tá a fim de "pegar" várias garotas, sem ser visto com maus olhos pelo próprio pai ou outros homens da família. E por aí vai... Deu pra pegar o significado da coisa?

Uma pessoa masculinista acaba sendo automaticamente feminista, pois enxerga as pessoas como pessoas. Agora uma pergunta: você é homofóbico? Se sua resposta é prontamente um "NÃO", então você necessariamente é masculinista.

Porque uma frase como essa aqui: "Ihhhh, cara, você tá lendo poesia?? É uma bichona, mesmo! Ihhhh... tá passando gel no cabelo? Esse é viadinho!" pode parecer a coisa mais inocente do mundo (e provavelmente você fala isso como brincadeira na sua roda de amigos...). Mas frases desse tipo são preconceituosas com os homens no geral (pois tiram o direito do homem de fazer o que ele quiser sem ser considerado "menos homem") e preconceituosas com os gays (justamente porque taxam "viadinhos"e "bichonas" como algo ruim). Então te pergunto de novo: você é homofóbico? Não estou falando que você seja. Mas te desafio a analisar de onde vêm esses conceitos dessas frases "de brincadeira", e se esses são conceitos que você quer mesmo ter. 

Um masculinista apoia o filho se ele quiser fazer balé. Pois sabe que o filho será um homem com H maiúsculo independentemente do balé: porque para ser um Homem, basta que ele seja feliz, educado e íntegro. Ele pode fazer balé e ser o bailarino mais namorador do universo, ter várias namoradas e um monte de mulheres loucas por ele, e também jogar futebol. Ou ele pode ser um bailarino que só namorou uma única mulher na vida dele, e casou com ela. Ou ele pode ser um bailarino gay, ter vários namorados, ou até casar com um homem. Mas ele será Homem com H maiúsculo do mesmo jeito, porque é seu filho! 




-SOBRE O FEMINISMO (finalmente)

 Voltando à definição do começo: feministas são pessoas que acreditam que as mulheres devem ter os mesmos direitos CIVIS e SOCIAIS que os homens.

O que significa isso?
Um exemplo de direito civil:  uma feminista acha que mulheres devem ganhar OS MESMOS SALÁRIOS que os homens ganham para as mesmas funções (sim, galera, ainda ganhamos muito menos fazendo exatamente a mesma coisa... "Ah, Fernanda, mas é que essa diferença de salário é para o Estado poder pagar a licença maternidade da mulher e blábláblá". O escambal! E se a mulher decidir que não quer ter filhos? É justo ela ganhar menos a vida toda para pagar a licença maternidade de outra mulher? E peraí, ser mãe ou não é um direito da mulher, não é "reembolsável" e muito menos deveria ser pago pela mulher, caso esse absurdo de justificativa de que "elas ganham menos para receber os benefícios sem quebrar o Estado" seja verdade. Se for assim, vão me falar que homens deveriam ganhar menos, pois comem mais e gastam mais com o Vale Refeição. Me poupem.

Um exemplo de direito social: feministas acham que as mulheres devem ter sua sexualidade respeitada tanto quanto os homens. Se um homem fica com muitas mulheres, é o "garanhão" (masculinistas odeiam isso), mas se uma mulher fica com vários homens, é a"puta". Uma pessoa deve poder ter quantos parceiros ela quiser, sem ser taxada de nada, sendo homem ou mulher. É uma escolha dela, é uma opção dela, e ela não é alguém melhor ou pior por causa disso.

Outro exemplo de direito social: feministas não gostam dessa vulgarização do corpo feminino que a gente vê todos os dias, o dia inteiro. As pessoas criticam as meninas que saem na rua quase nuas e se comportam como "periguetes", mas o que a indústria que você cultiva ensinou para essas meninas? Que o valor dela é o corpo dela. Que ela vai ser admirada de acordo com o tamanho da bunda. Desde a propaganda de cerveja que o pai dela assiste até a novela que a mãe gosta, as mulheres valorizadas são as que se comportam como símbolo sexual. O que se espera que uma menina faça, então, assim que começa a ter seios? Que saia na rua carregando um exemplar da "Divina Comédia" e mostrando para as pessoas o quanto ela é inteligente e culta? Pois é, não. Ela vai querer ser admirada pelo que ela aprendeu que as pessoas admiram: o corpo. E então elas ficam vulgares e saem por aí com roupas minúsculas, são violentadas, e vem um jumento dizer que a culpa é delas. Vem uma Igreja (sim, catolicismo, tô falando de você) excomungar a filha que foi estuprada, mas perdoar o pai que estuprou. Me falem se essas coisas não dão vontade de devolver o almoço, de tão nojentas que são?

"Ah, Fernanda, mas as meninas que saem por aí quase peladas não são santinhas, não! Elas só faltam agarrar os meninos à força e ficam grávidas aos 12 anos...". Quem disse que para ter direitos tem que ser santa? O machismo já começa por aí... Vamos supor que essa menina "periguete" realmente não sofreu influência da mídia, que ela sai na rua quase nua porque gosta mesmo, que ela agarra os meninos porque gosta mesmo, que ela é assim e pronto. E DAÍ? Ela deve ser livre pra usar a roupa que quiser sem sofrer violência por isso. Livre para ficar com quem ela quiser (desde que isso não desrespeite os meninos... agarrar meninos à força não é uma coisa muito legal, os masculinistas devem concordar, mas vocês entenderam). Livre para seguir o que ela acha que é certo. Assim como qualquer homem também o é.


O que feministas NÃO são:

Feministas são mulheres que odeiam a vaidade?

Pelo amor de todos os anjos e demônios: NÃO! As mulheres são livres (inclusive!) para decidirem o que fazer com os pelos do próprio corpo, sabiam? Ufa! Ainda bem. Achei que agora eu teria que deixar os pelos das axilas crescerem até eu poder fazer uma trança viking.

Gente do céu, de onde tiraram que "feminista não raspa o braço, não depila a virilha, não usa salto, porque isso é uma imposição do sistema patriarcal maldito do inferno"???? Concordo que essas coisas (saltos, depilação e tal...) foram impostas para a mulher de forma bem psicológica (no mesmo estilo em que a vulgarização do corpo é imposta na mídia hoje em dia...), mas cabe à mulher querer isso pra ela ou não.

Eu sou um caso bem claro disso: sou feminista, mas adoro a tecnologia da depilação a laser, adoro usar salto, amo maquiagem, amo vestidinhos floridos. Eu até tenho um espartilho para usar com alguns vestidos, de vez em quando (e sim, eu aperto o espartilho como se não houvesse amanhã)! Para quem? Para mim! Por quê? Porque acho lindo! E não, não quero queimar meus sutiãs de renda. Mas tiro o chapéu para as feministas do passado que queimaram os delas, porque foi isso que me fez poder fazer uma ótima faculdade e trabalhar, hoje em dia. Nesse século atual, o objetivo não é mais queimar sutiãs (chega de dióxido de carbono no ar, gente), e sim queimar preconceitos.


Feministas são mulheres que saem mostrando os seios em passeatas e fazendo todos os machistas assobiarem para a "causa social" delas?

NÃO! Meninas do Femen, VOCÊS NÃO ME REPRESENTAM! E não é por causa dos seios à mostra, não! Na Europa as mulheres tomam sol sem blusa e nunca achei vulgar, apoio pois faz muito bem pra pele. Mas o Femen me dá vergonha por recusarem gordinhas ou velhas nos seus protestos, porque elas têm peitos caídos que não vão chamar atenção dos homens na passeata de vocês. PQP, eu fico fula da vida com isso! Como alguém pode fazer passeata contra o uso do corpo da mulher como objeto sexual USANDO o corpo da mulher como objeto sexual? Novamente: quando você começar a fazer sentido, daí a gente conversa. Até lá, você não é feminista, querida! É só uma moça fazendo topless e gritando por algum motivo.



Perguntas ou comentários que eu me recuso a responder depois desse texto, a não ser que você queira ouvir as respostas abaixo:


- Imagina, você não é feminista! Você é superdelicada e meiga.

   R: Se você conseguisse ler minha mente, não me acharia meiga com o que eu acabei de pensar sobre você.


- Você é feminista? Então, você é lésbica?

R: Depende. Entre ficar com alguém que tem uma mente tão brilhante quanto a sua, e ficar com uma mulher, eu com certeza viro lésbica.


- A mulher não pode querer ser igual ao homem. O legal nos relacionamentos é a diferença, e homens e mulheres são diferentes.

R: Ai, Jesus Cristinho... Quem te disse que eu quero ser igual a um homem, criatura acéfala? Mulheres são diferentes dos homens, mesmo, e ainda bem! Em questões físicas, em questões psicológicas, em questões biológicas, na pele, no cheiro (ui... ainda bem mesmo!).

A questão aqui é que "ser diferente" não é sinônimo de "ser melhor ou pior". E se vier dizer que homens são mais racionais e mulheres são mais emocionais, te digo que talvez haja mesmo uma tendência biológica para isso, assim como os homens das cavernas precisavam ter uma tendência biológica para caçar mamutes. Hoje em dia isso não tem mais nada a ver, meu amigo. Posso listar várias mulheres que são mais racionais que vários homens, e vários homens mais emotivos que mulheres, e por aí vai. A pergunta a ser feita é: será que a sociedade não incentiva os meninos a serem mais racionais, e as meninas a serem mais meigas? Pensa aí e a gente conversa depois.


-Mas na Bíblia tá escrito que...

R: PAAAAAAAARA TUDO! PAROOOOOOU! Nem vem me falar de Eva, costelinha de homem feita com manteiga e shimeji, maçã mordida, serpente falante nem nada disso.

Se for falar de religião, leia os textos em hebraico sobre Lilith (a primeira mulher de Adão... pois é...) que era uma mulher super bem resolvida e que ia dar risada se falassem pra ela que "o homem é a cabeça da mulher". Religião à parte: eu adoro Jesus e você que fala da Bíblia como se soubesse de tudo desse livro, deveria saber que Jesus era feminista. E masculinista. E humanista. Pois é.

E a Bíblia também diz que crianças desobedientes deveriam morrer apedrejadas. Olha só! Acho que você não está muito a fim de seguir o negócio ao pé da letra, né? Então pronto.



- Mulher fala que é feminista, mas quando é para o homem pagar a conta, vocês não reclamam! ou qualquer variação desse coliforme fecal de frase:  "Cavalheirismo é o nome que as mulheres dão à parte do machismo que lhes é conveniente" 

(Ai, que preguiça desse comentário... Vai, Fernanda, força... responda para o indivíduo.)


R: Senhor indivíduo, existem coisas que as pessoas fazem umas para as outras, e isso independe de ser homem ou mulher, que demonstram afeição. Por que seria contra a filosofia feminista aceitar um presente de alguém? Se alguma mulher está falando que homem tem mesmo é que pagar tudo, daí só posso te dizer que ela é uma oportunista. Mas "querer que o outro pague tudo" e "aceitar gentilezas" são coisas diferentes, né?

Quando um cavalheiro está saindo com uma dama, ele geralmente paga a conta para demonstrar que se importa com ela, que quer que ela aceite o encontro como um presente, fique o mais confortável possível. Isso é fofo, é charmoso e muito gentil. Um homem desses não é machista. E uma mulher que aceita essa gentileza também não está sendo submissa, está apenas aceitando com alegria a gentileza do outro. Se alguém te dá um presente, você acha melhor recusar e gritar "Sou capaz de comprar meus próprios presentes, obrigada! E você é uma pessoa preconceituosa, viu, por me dar presentes"??? Alguém aciona o manicômio aqui?

É claro que, como uma mulher razoável, ela deve sugerir dividir a conta, pagar alguma coisa ou até arcar com o passeio todo uma vez ou outra (isso faz parte da filosofia de equilíbrio e igualdade que as feministas pregam), mas proibir os homens de quererem agradar a gente é ridículo. É mais que isso, é falta de educação.

Da mesma forma, quando uma mulher faz a janta para um ficante/namorado/marido, não quer dizer que ela está dizendo "Olha, sou submissa. Se eu fosse feminista de verdade, jamais cozinharia para você". Consegue perceber? Quem disse que feministas não podem gostar de cozinhar para o marido, e vice-versa? Da mesma forma, quem disse que uma feminista não pode se sentir feliz quando o parceiro demonstra que se importa com ela através de uma gentileza, como pagar um jantar ou abrir a porta do carro? Onde está o preconceito nesses gestos?



- Feminista é tudo mal-comida.

R: Que bonitinho! Você tem QI suficiente para mexer a boca e emitir sons. Seus pais devem ficar muito felizes por você ter sobrevivido. Eu não. Mas tudo bem.





Resumo da obra: Sou feminista e sou masculinista, com muito orgulho, com muito amor. Não sou homofóbica, não sou machista e não sou femista. Agora vamos parar de classificações, s'il vous plaît.




5 comentários:

Rozelene Braite Roze disse...

Estou enlouquecida com tantas definições, conceitos e comportamentos impostos ao ser humano,independente do seu sexo biológico, pela nossa injusta sociedade.
Você Fernanda, foi muito feliz e clara em seu texto, explicando uma imposição da sociedade sobre o comportamento de nós seres humanos, desde que saímos do útero materno. Não sei se
me fiz entender muito bem, afinal das contas você é que é a jornalista.
O que eu entendi no final de seu texto é que não devemos ficarmos preocupados em se enquadrar dentro de conceitos e definições imposta pela sociedade que nós criamos,mas sim nos olharmos e olharmos todas as pessoas e também qualquer ser vivo e não vivo na natureza
com o maior respeito e admiração que todos merecem.

Fernanda Braite disse...

Obrigada pelo comentário e elogio! :D É isso mesmo, acho que ao invés de ficarmos colocando rótulos e definições, falando que fulano é feminista, beltrano é masculista e etc e tal, o importante são as atitudes de amor e respeito por tudo e todos. E sobre estender isso a todos os seres da natureza, algum dia vou fazer um texto sobre isso também, especificamente. ;) Grande abraço!

Pedrok disse...

kkkkkkkk Texto muito bom! Tô rindo dmais com a parte do "coliforme fecal de frase" e tambem da "tranca viking". Gostei do seu blog, vou ler outros textos. Abs

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lays Soares disse...

Olá, Fernanda! Nos esbarramos por aí, nessas internets uehuehh Fiquei de vir a ler o seu texto! E não me arrependi! Ótimo texto, muito esclarecedor e muito engraçado também. Sabe, não me considero feminista, mas a partir do seu texto e falando com pessoas como você que percebo que no fundo eu sou sim. Acontece que há muitas sujando o movimento, como você mesma citou. O que eu prezo é igualdade de direitos, assino em baixo em tudo! O blog é muito interessante, já tem mais uma pra te visitar, esquenta o café e vai preparando o bolo! uahsuhuash Beijos