terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Espiritualmente mimados

Existe uma frase específica que sempre me causa uma leve vontade de bater a cabeça da pessoa na parede: "Deus fez as vacas para a gente comer". (*não, esse texto não é sobre vegetarianismo, mas poderia ser). 
Nunca respondo a isso. Mas, lendo um livro hoje, me veio vontade de escrever sobre o assunto, e quando isso acontece é melhor eu obedecer. Então lá vai: "Não, querido(a), as vacas não são feitas para você comer. Elas são feitas para serem vacas. Só isso."

O ser humano (e eu estou inclusa!) tem uma característica muito engraçada que eu batizei de "infantilidade espiritual". Somos como aquelas crianças que acham que se pedirem "por favor", os pais terão que fazer, porque são "MEUS pais". Já conversou com uma criança sobre Deus? Às vezes, elas acham que, se quisermos e pedirmos de verdade, a chuva pode começar a cair pra cima. Não é culpa delas, elas ainda não sabem direito a diferença entre fé e teimosia. Mas nós deveríamos saber. 

Assim como elas, que ficam chorando pela escolinha porque o coleguinha pegou a "MINHA boneca, MINHA lancheira, MEU lápis de cor", temos a infantilidade de achar que tudo no mundo é NOSSO. Minha vaca. Minha árvore. Meu mar. O Papai-do-céu que me deu, é tudo meu! E, novamente como as crianças, vamos chorando e batendo a cabeça até aprendermos que não é assim. 

"Deus fez a vaca para eu comer, as flores para eu cheirar, as árvores para me dar sombra". Quanta pretensão! Meu amigo, Deus não fez nada "para" você! Ele fez a vaca, as flores, as àrvores E você. Não é "para", é "e". 
Pois é, você faz parte da criação toda. Não é o maior legal?  

A diferença entre você e uma vaca é que ela tem a inocência, e você, a inteligência: ela deveria usar a inocência dela para pastar e ruminar; você deveria usar sua inteligência pra pensar. E com isso, não quero dizer que todo mundo que come carne é burro! Nada disso. Quero dizer que devemos nos enxergar como criação, respeitar aquele ser, aquela flor, aquela árvore que está no mesmo barco que a gente. Muitos dos nossos problemas atuais seriam solucionados se você parasse de se enxergar como a última bolacha do pacote de Deus. 

O mundo não é uma caixa de brinquedos. E se for, você é o Woddy, meu amigo. Você não é o Andy. Mas, antes de qualquer coisa, pare de agir como o Sid. 

Nenhum comentário: